Programa Quintais Verdes

A população de Alto Paraíso de Goiás, com menos de 7.000 habitantes, possui uma carência muito grande nas áreas da educação e da cultura.

O desequilíbrio social e econômico, a falta de assistência às necessidades da infância e do desenvolvimento saudável contribuem com a marginalização das crianças, a falta de espaço para o brincar e a desestrutura familiar. O Programa Quintais Verdes tem como objetivo colaborar com a melhoria de vida dessas crianças e adolescentes, bem como com as suas famílias, colaborando para uma comunidade permeada pelos princípios da Cultura de Paz com temas como a ecologia, a não-violência, a solidariedade e o desenvolvimento humano sustentável.A cultura, por meio da vivência artística, possibilita a construção de novos relacionamentos e no desenvolvimento da consciência ecológica. Os resultados serão apresentados na produção de músicas, nas histórias cantadas, no artesanato e exposição fotográfica, permeadas pelo diálogo que busca reconhecer e valorizar as necessidades humanas: material, espiritual, cultural e emocional.

O Núcleo Quintais Verdes iniciou suas atividades após firmar um termo de parceria, em 2004, com a Promotoria de Justiça de Alto Paraíso de Goiás tendo como objetivo buscar o desenvolvimento e prestar atendimento aos jovens. A proposta consiste em ajudar esses jovens em situação de pobreza e vulnerabilidade social a prestar serviços à comunidade.

 

Uma das principais características da Pedagogia Waldorf é o seu embasamento na concepção de desenvolvimento do ser humano introduzida por Rudolf Steiner. Essa concepção leva em conta as diferentes características das crianças e adolescentes segundo sua idade aproximada. O ensino é dado de acordo com essas características: um mesmo assunto nunca é dado da mesma maneira em idades diferentes.Ela é uma pedagogia holística em um dos mais amplos sentidos que se pode dar a essa palavra quando aplicada ao ser humano e à sua educação.

 

De fato, ele é encarado do ponto de vista físico, anímico e espiritual, e o desabrochar progressivo desses três constituintes de sua organização é abordado diretamente na pedagogia. Assim, por exemplo, cultiva-se o querer (agir) através da atividade corpórea dos alunos em praticamente quase todas as aulas; o sentir é incentivado por meio de abordagem artística constante em todas as matérias, além de atividades artísticas e artesanais, específicas para cada idade; o pensar vai sendo cultivado paulatinamente desde a imaginação dos contos, lendas e mitos no início da escolaridade, até o pensar abstrato rigorosamente científico no ensino médio.

 

 

 

O fato de não se exigir ou cultivar um pensar abstrato, intelectual, muito cedo é uma das características marcantes da pedagogia Waldorf em relação a outros métodos de ensino. Assim, não é recomendado que as crianças aprendam a ler antes de entrar na 1a série. Sobre a necessidade do brincar infantil no jardim-de-infancia, veja-se o artigo "Crisis in the Kindergarten: why Children Need to Play in School" editado pela Alliance for Childhood. Para as caracterizações sucintas do desenvolvimento infantil e juvenil em períodos de 7 anos, os setênios, base fundamental da pedagogia, vejam-se os artigos de Sonia Setzer sobre educação e drogas e o de Sonia Ruella. Como o computador força um pensamento lógico-simbólico, nenhuma escola Waldorf digna desse nome utiliza essa máquina, sob qualquer forma, antes do ensino médio (9a série na seriação Waldorf); ver artigos a respeito.

​© 2014 by Instituto Oca Brasil 

  All rights reserved.

​Caixa Postal 32 Alto Paraíso de Goiás - GO CEP: 73770-00

Contato 55 62 3446-1166 / 55 11 3814-3366 instituto@ocabrasil.org